quinta-feira, Junho 06, 2013

Diamantino Miranda (CSol) e mais de 30 jogadores correm risco de expulsão de Moçambique

Pelo menos 27 trabalhadores estrangeiros entre treinadores e jogadores de cinco clubes desportivos poderão ser extraditados, depois de as suas entidades empregadoras não terem conseguido regularizar a sua situação, não obstante a moratória concedida pelo governo para o efeito.
Trata-se de 39 jogadores de futebol e quatro treinadores dos clubes do “Moçambola”, o campeonato nacional, nomeadamente o Costa do Sol e Maxaquene, da cidade de Maputo, o Vilankulo Futebol Clube, da província de Inhambane, Têxtil do Pungue, de Sofala, e Ferroviário de Nampula, província do mesmo nome.
Um comunicado de imprensa do Ministério moçambicano do Trabalho (MITRAB) refere que estes clubes serão sancionados no âmbito da legislação vigente no país, “por introdução ilegal no país de cidadãos de nacionalidade estrangeira, bem como por não terem conseguido regularizar a situação após o Governo ter dado um prazo para o fazer”.
A Inspecção-Geral do Trabalho, no âmbito das suas competências, realizou acções inspectivas aos Clubes de todo o país, durante os meses de Fevereiro e Março do ano em curso. 
Desta acção, constataram-se, entre outras infracções, o emprego ilegal de mão-de-obra estrangeira no país.
E após a moratória do Governo, através do Ministério do Trabalho, deu-se 30 dias (15/04 a 14/05/2013) aos clubes de futebol para a correcção das infracções, tendo se verificado que os clubes Costa do Sol, Maxaquene, Vilankulo FC, Têxtil de Púnguê e Ferroviário de Nampula não regularizaram a situação contratual dos seus trabalhadores estrangeiros.
“Sendo assim, de ora em diante, para além das sanções previstas na lei laboral, a situação dos visados já foi encaminhado para os Serviços de Migração, para as etapas seguintes, que incluem a extradição para os países de origem”, revela o comunicado.
O Ferroviário de Nampula com nove jogadores e o Costa do Sol com dois treinadores e cinco jogadores serão os clubes mais penalizados caso se opte pela extradição dos visados.
O Maxaquene, com cinco jogadores, Têxtil do Pungue (quatro) Vilankulo Futebol Clube (dois) serão os outros penalizados. 
No total, foram inspeccionados 40 clubes em todo o país e encontrados 46 trabalhadores estrangeiros em situação ilegal, entre os quais 39 jogadores e 7 treinadores.
“Muitos clubes já conseguiram regularizar a situação”, indica o MITRAB.
Eis os treinadores e jogadores que correm o risco de serem extraditados: 
1. Clube Costa do Sol:
- Diamantino Manuel Fernandes Miranda, de nacionalidade Portuguesa, treinador principal;

- Nelson E. Silva Santos, de nacionalidade Portuguesa, treinador;
- Humgdou Anta Diagne, de nacionalidade senegalesa, jogador de futebol;
- José Inácio Barbosa, de nacionalidade portuguesa, jogador de futebol;
- Mathews Masha, de nacionalidade zambiana, jogador de futebol;
Michael Shoko de nacionalidade zimbabweana jogador de futebol;
- Themba Maringa, de nacionalidade sul-africana, jogador de futebol.

2. Clube de Maxaquene:

- Moises Chuvula, de nacionalidade malawiana, jogador de futebol;
- Chiukepo Malawgana, de nacionalidade nigeriana, jogador de futebol;
- Emmanuel Eboh, de nacionalidade nigeriana, jogador de futebol;
- Marvin Chistopher de nacionalidade sul-africana, jogador de futebol;
- Mfiki M. Mthimkulu, de nacionalidade sul-africana, jogador de futebol.

3. Vilanculos FC:

- Ernesto Soares, de nacionalidade zimbabweana, jogador de futebol;
- Mathew Tendai, de nacionalidade zimbabweana, jogador de futebol.

4. Clube Têxtil de Púnguê:

- Godfrey Makande, de nacionalidade zimbabweana; jogador de futebol;
- Michel Nyamuksa, de nacionalidade Zimbabweana; jogador de futebol;
- Jude Nonso Nworah, de nacionalidade Nigeriana; jogador de futebol;
- Bernard Bvumbwe, de nacionalidade Zimbabweana, jogador de futebol.

5. Clube Ferroviário de Nampula:

- Ernesto Ejiford Ugwanyi, de nacionalidade nigeriana, jogador de futebol
- Rafik Mussa, de nacionalidade malawiana, jogador de futebol;
- Simplex Nthara, de nacionalidade malawiana, jogador de futebol;
- Vincent Chinthenga, de nacionalidade malawiana, jogador de futebol;
- Robson Banda, de nacionalidade malawiana, jogador de futebol.
- Foster Namwera ,de nacionalidade malawiana, jogador de futebol;
- Rogerio Goncalves, de nacionalidade portuguesa, treinador de juvenis;
- Nuno da Silva, de nacionalidade portuguesa, treinador de juvenis;
- Ibanes Dzikambane, de nacionalidade portuguesa, treinador de juvenis.

Fonte: Rádio MocambiqueRádio Moçambique /AIM - 06.06.2013

Sem comentários: