terça-feira, junho 19, 2018

MDM divulga cabeças de lista, com excepção da cidade de Maputo

A Comissão Política do MDM anunciou, esta segunda-feira, os nomes dos seus membros que serão cabeças de lista em 52 dos 53 municípios do país, nas eleições autárquicas de 10 Outubro próximo, com excepção da cidade de Maputo.
De acordo com Luís Boavida, porta-voz da Comissão Política, da segunda sessão ordinária do MDM que vinha decorrendo desde a última segunda-feira na Beira, com objectivo central e homologar os cabeças de lista, Daviz Simango, por sinal presidente deste partido, foi confirmado para município da Beira. Em Quelimane Manuel de Araújo foi homologado. No muncípio de Gurué, o actual presidente, Orlando Janeiro, é igualmente o cabeça de lista. 
Em relação aos outros municípios, Boavida começou por garantir que parte significativa dos candidatos por este partido nas eleições autárquicas de 2013, serão os cabeças de lista, tais como os casos de Mueda, Chiure, Pemba, Cuamba, Milange, Marromeu, Gorongosa,Tete, Chimoio, Maxixe, Xai-xai e Matola.  
Entretanto, há casos onde os cabeças de lista não foram candidatos em 2013, como é o caso de Lichinga, Mandimba, Nampula, Nacala Porto, Ilha de Moçambique, Maganja da Costa, Gondola, Catandica, Macia, Chibuto e Manhiça.
Para a cidade de Maputo, Venâncio Mondlane distanciou-se da indicação efectuada pelos membros do MDM para ser cabeça de lista, e indicou claramente que vai dissociar-se deste partido.
“Foi uma situcação que surpreendeu os nossos membros, tendo em conta que antes e durante o congresso do partido, que teve lugar em Dezembro do ano passado, em Nampula, o companheiro Mondlane sempre mostrou-se disponível a colaborar com a confiança que os membros depositavam nele, na altura como candidato para Maputo. Agora ao ser indicado como cabeça de lista, ele distanciou-se de forma surpreendente. Estamos à espera que ele formalize o seu posicionamento para o partido tomar o posicionamento oficial”.
O País está na posse de uma informação que dá conta que o cabeça de lista da cidade de Tete, o deputado Ricardo Tomás, terá submetido a sua carta de renúncia como membro deste partido nesta segunda-feira.  
“Não temos conhecimento. O que sabemos é que ele é o nosso cabeça de lista no município de Tete”- explicou Luís Boavida.

Daviz Simango diz que não quer ser candidato à Presidência de Moçambique

Presidente do MDM concorre à reeleição no município da Beira
Daviz Simango é o candidato do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) ao cargo de presidente do Conselho Municipal da Beira, o segundo maior centro urbano do país.
A confirmação foi feita pela Comissão Política do MDM que esteve reunida no início nesta semana na Beira.
Simango, 54 anos de idade, dirige a autarquia da Beira há três mandatos consecutivos, desde 2003.
Em conversa com a VOA disse que não lhe desagrada a ideia de voltar a dirigir a cidade da Beira, mas, já em relação à Ppresidência da República, foi muito claro "não quero ser candidato".

Fonte: Voz da América – 19.06.2018

domingo, junho 17, 2018

inscrição dos proponentes de candidaturas

Inicia esta sexta-feira a inscrição dos proponentes de candidaturas de partidos políticos, coligações de partidos e grupos de cidadãos interessados em participar nas quintas eleições autárquicas de 10 de Outubro.
As inscrições terminam no dia 29 do mês em curso e decorrem em simultâneo com a indicação dos mandatários dos proponentes e a sua respectiva credenciação. Esta informação foi revelada hoje pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), durante a reunião com partidos políticos que tinha como objectivo a divulgação das alterações do calendário eleitoral. E uma delas é justamente o período para a inscrição dos partidos, coligações e grupo de cidadãos, que passou de 1 a 15 de Junho para 15 a 29 do mesmo mês. “Esta alteração obrigou-nos a alterar também a data do início da apresentação e verificação das candidaturas para 5 a 27 de Julho”, disse Abdul Carimo, presidente da CNE.

quinta-feira, junho 14, 2018

Fernando Bismarque é o cabeça de lista do MDM nas Autárquicas de Nampula

O Porta-voz do MDM na Assembleia da República, Fernando Bismarque, é o cabeça de lista do partido nas eleições autárquicas de dez de Outubro no Município de Nampula.
Bismarque foi eleito com 133 votos, num sufrágio em que participaram 200 membros de diferentes órgãos do MDM na cidade de Nampula.
Para além de Bismarque concorriam outros dois candidatos, nomeadamente Mussa Abudo e João Coronta.
Fonte: O País – 14.06.2018

sábado, junho 09, 2018

Afinal a Circular de Maputo não tem passadeiras?


Li o comentário de Gabriel de Barros no mural de Dino Foi, dizendo que a Circular “urbana” de Maputo não tinha passadeiras,  logo era como o Muro de Berlim que separava a República Democrática da Alemã da República Federal de Alemã. Este comentário, recordou-me um post de um “camarada” durante a campanha eleitoral das autárquicas de 2013. O tal “camarada” que dispenso mencionar porque bloqueiou-me no último dia da mesma campanha, achava irracional o Venâncio Mondlane que prometia pontes de travessia dentro da cidade de Maputo porque segundo ele,  ali não havia rios.
Afinal como podemos falar de cultura urbana quando a planificacão da cidade não segue o padrão urbano? Porquê o Presidente Nyusi não se zanga com os planificadores da Circular de Maputo, mas com as vítimas da mesma?

quarta-feira, junho 06, 2018

Para não sair de Moçambique


Quando em Janeiro de1983 a Renamo atacou e instalou-se pela primeira vez no distrito do Monapo, a partir de Netia, o então administrador distrital Isaac Abdul Aly Barraca convocou uma reunião de emergência do governo distrital alargada. Como eu era secretário distrital da ONP, tive que participá-la. Nela, o administrador decide que na manhã seguinte tínhamos que ir a Netia para tranquilizar a população que já abandonava as aldeias. Cada um de nós era importante no seu sector. O director de Educação e eu íamos ter e consolar os professores, ainda que as aulas não haviam iniciado. Dito e feito, passámos por muitas aldeias onde o ambiente estava frio.
Semanas depois, o governo distrital decide para eu ir morar lá em Netia, zona de guerra, com mais de 700 alunos, professores e trabalhadores de diferentes sectores. Em numa madrugada de Novembro de 1985 fomos atacados. No mesmo dia, até às 11 horas, o administrador e alguns membros do governo distrital chegaram ao centro internato e escola secundária para nos consolar e confortar.

sábado, junho 02, 2018

Ideias estranhamente contraditórias


Se se concorda com execuções extra-judiciais que a prior não se sabe se os executados são na verdade e simplesmente criminosos ou comparsas dos executores na criminalidade ou simples rivais amantes duma moça, PORQUÊ não se defendeu ou defende, por exemplo, a eleição de governadores, administradores sem passar por revisão da Constituição da República?

Não sou a favor da PENA CAPITAL, mas democraticamente falando, sou apologista de um debate
 sobre ela e ou mesmo de um referendum sobre a introdução da mesma. Se os a favor vencerem não ficarei mais triste que agora, pois que sei que os que serão executados, passarão por julgamento e condenação publicados na imprensa. Isso até ajudará aos aspirantes ao crime a preverem o que deles espera. Caso contrário, até pessoa de boa fé fica com medo de ser executada extrajudicialmente.

terça-feira, maio 29, 2018

Decapitadas 10 pessoas em Palma em mais um ataque terrorista

Dez moçambicanos foram decapitados, no último domingo, no distrito de Palma, em Cabo Delgado, num acto atribuído ao grupo designado por Al-Shabab.
A informação foi confirmada, hoje, pelo porta-voz do Comando Geral da Polícia, Inácio Dina, durante o briefing semanal.
Cinco corpos, dentre os quais de dois adolescentes, foram encontrados na aldeia 25 de Junho e outros na aldeia de Monjane.
O grupo colocou-se em fuga e Dina avança que continuam buscas no sentido de neutraliza-los.A Polícia ainda não sabe quantos membros compõem este grupo.
Fonte: O País – 28.05.2018

Contrariando:


A polícia moçambicana garante que conseguiu estancar a onda de ataques levados a cabo por grupos armados em Mocímboa da Praia, norte do país. De acordo com o Comandante Geral da Corporação, Bernardino Rafael, o trabalho prossegue com vista assegurar que ataques do género não voltem a acontecer em território nacional.
A situação de ataques protagonizados por grupos armados com supostas ligações a movimentos extremistas islâmicos está controlada na região norte de Moçambique, sobretudo em Mocímboa da Praia em Cabo Delgado palco dos primeiros ataques registados nos dias 04 e 05 de Outubro passado a unidades da polícia e saques a unidades sanitárias. A garantia é do Comandante Geral da polícia Bernardino Rafael.
"Mocímboa da Praia é um caso controlado. Estamos a trabalhar no sentido de criar cada vez mais um ambiente favorável. É aquilo que vocês têm vindo todos os dias a ver nas notícias. Nós dizíamos, daqui a um tempo, provavelmente, vamos deixar de ouvir falar do assunto de Mocimboa da Praia", referiu.
Os ataques que se prolongaram na forma de conflitos esporádicos por outros distritos resultaram na morte de cerca de 20 pessoas entre insurgentes, agentes da polícia e civis. Em conexão com estes ataques segundo a polícia, mais de 200 pessoas entre cidadãos nacionais e estrangeiros estão detidos.

Fonte: RFI - 20.05.2018