terça-feira, agosto 30, 2016

Filomena Maricoa - Tudo para me babar - Letra [2016]

Filomena Maricoa - Tudo para me babar - Letra [2016]

Críticas aos opositores dominam celebrações dos oito anos do MDM

O presidente do MDM, Daviz Simango, voltou a criticar o Governo e a Renamo, por alegadas responsabilidades pela actual tensão política e militar que o país atravessa e apelou aos moçambicanos a unirem esforços no trabalho para o país sair das crises em que se encontra.
As críticas foram lançadas na Cidade da Beira durante a celebração do oitavo aniversário desta formação política, que foi assinalado no passado domingo, 28 de Agosto, dia da fundação do MDM, e que também é conhecido, no seio deste partido, como o dia de revolução.
“Já prevíamos que caso a Frelimo continuasse no poder ou a Renamo ascendesse ao mesmo, haveria guerra no país e de facto ela existe, mesmo que tentem desmentir. É que tanto a Frelimo, assim como a Renamo são dois partidos intolerantes e que pensam apenas nos seus interesses e não na nação. É importante que parem as matanças por razões meramente políticas. Há espaço para todos num país tão vasto como o nosso” criticou o líder do segundo maior partido da oposição. Simango, que falava num comício popular, afirmou que tanto o Governo, assim como a Renamo gastam milhões para comprar armas, simplesmente para matar compatriotas. Perante a actual situação de confrontação armada, o líder do MDM lançou apelos para o Governo e a Renamo apostarem num diálogo sério, para encontrar uma paz efectiva no país.

Ministério Público Brasileiro pede a condenação do publicitário do MPLA

A força-tarefa de procuradores da Operação Lava Jato pediu hoje ao juiz Sérgio Moro a condenação do publicitário João Santana e da mulher dele, Mônica Moura, em uma das ações penais da operação pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.
Nas alegações finais apresentadas ao juiz, o Ministério Público Federal (MPF) afirmou que o casal confessou que recebia recursos não contabilizados por serviços prestados em campanhas eleitorais.
“Observa-se da conduta desses réus, bem como dos demais, o desdém perante as instituições e as regras vigentes na sociedade, comportando-se como se estivessem acima delas, as regras, suplantando, sem qualquer remorso, a esfera do público, da coisa pública, do interesse social por seus mais egoístas interesses pessoais”, argumentou o MPF.

segunda-feira, agosto 29, 2016

“Cabe ao Governo e à Renamo convidarem a sociedade civil e os partidos políticos”

Mario Raffaelli sobre inclusão de outros intervenientes nas negociações

Mario Raffaelli, chefe da equipa dos mediadores internacionais nas negociações entre a Frelimo e a Renamo, disse, na semana passada, em Maputo, que compete às partes envolvidas no processo convidar organizações não-governamentais [geralmente apelidadas de “sociedade civil”] e os partidos políticos para darem as suas contribuições para a proposta de legislação sobre a descentralização, que está a ser preparada na Comissão Mista.

Há muito que se vem falando do envolvimento de outros sectores da sociedade no processo. Mario Raffaelli respondia a uma pergunta sobre quando seriam chamadas organizações não-governamentais para participarem na mesa das negociações e afirmou que, quando se fala do primeiro ponto da agenda, que é a “governação das seis províncias”, primeiro é preciso tomar em consideração que foi criada uma subcomissão encarregada de preparar uma proposta de legislação.

Gabão/Eleições: Jean Ping declara-se "presidente eleito"

O opositor Jean Ping, auto-proclamou-se este domingo, perante a imprensa e seus simpatizantes em Libreville, como vencedor da eleição presidencial à uma volta no Gabão, cujos resultados oficiais serão conhecidos na próxima terça-feira, noticiou a AFP.
"Fui eleito. Espero que o presidente cessante me venha felicitar", declarou o rival do presidente cessante Ali Bongo Ondimba, nas suas primeiras declarações públicas desde o encerramento do escrutínio de sábado, numa altura em que os dois campos declaram-se vencedores e acusam-se de fraudes.

Fonte: Angola Press – 29.08.2016

Dilma vai hoje ao banco dos réus lutar pelo seu mandato de Presidente do Brasil

A Presidente brasileira com mandato suspenso, Dilma Rousseff, vai hoje ao Senado, em Brasília, defender-se pessoalmente das acusações de irregularidades orçamentais, no âmbito do processo de 'impeachment' (destituição) que poderá afastá-la definitivamente do cargo de Presidente do Brasil.


A retomada do julgamento, agendada para as 09:00 locais (13:00 de Lisboa), começará com o pronunciamento da Presidente suspensa, seguido de perguntas dos senadores, da acusação e da defesa, à semelhança do que ocorre num interrogatório de um arguido num processo criminal.


A líder brasileira pode decidir responder ou não às perguntas.


A Presidente com mandato suspenso desde 12 de maio decidiu ir ao Senado por considerar que deve "lutar" pela democracia e contra o que vê como um "golpe" por parte dos seus opositores que não conseguiram vencer nas presidenciais de 2014, frisando que não dará a renúncia de "presidente" aos seus adversários.

domingo, agosto 28, 2016

Nyusi em maré baixa

Holanda, Suécia e Itália “indisponíveis” para receber Nyusi
Numa altura em que o país continua a precisar de encontrar mecanismos para lavar a sua imagem junto da comunidade doadora internacional, as démarches do executivo liderado por Filipe Nyusi, nessa direcção, continuam a não surtir efeitos positivos.
Exemplo disso, é a nega de receber o presidente moçambicano, que acaba de ser manifestada por três países europeus, nomeadamente a Holanda, Suécia e Itália. Naquilo que pode ser considerado subterfúgios para esconder as reais razões do “não”, os países alegaram questões de falta de disponibilidade dos dignitários com quem Filipe Nyusi pretendia manter encontros estratégicos.
No entanto, acredita-se que por detrás da nega “concertada” estarão questões relacionadas com a difícil digestão do escândalo das “dívidas escondidas”, que praticamente atiraram o país ao caixote de lixo do ponto de vista de performance macro económica.
A ideia de Filipe Nyusi era terminar o périplo pelos três países e, logo seguir para Nova Iorque e Washington D.C., nos Estados Unidos da América (EUA).

Diálogo de paz interrompido em Moçambique

Governo e Renamo com pontos divergentes quanto ao cessar-fogo.
O grupo de mediadores do diálogo político anunciou, ontem, 24, a suspensão temporária das suas actividades e o regresso aos respectivos países, deixando para trás, divergências extremas sobre os mecanismos da cessação imediata das hostilidades militares entre o Governo e as tropas fiéis à Renamo.
Ao fim de seis horas de uma sessão que deixou visível o nervosismo por parte da equipa de mediação, com particular destaque para Mario Raffaelli, coordenador da equipa, foi apresentada uma declaração à imprensa, que deixava clara a inflexibilidade das partes sobre o estabelecimento de tréguas.
O ponto sobre a suspensão das hostilidades foi baseado numa proposta da mediação, que apresentou como ponto prévio, a necessidade de um contacto directo com o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, situação que está condicionada ao estabelecimento de tréguas imediatas, cuja operacionalização divide as partes.
“A delegação da Renamo concorda com a visita dos mediadores/facilitadores internacionais ao presidente da Renamo. Para o efeito, aceita uma trégua temporária junto da Serra da Gorongosa, desde que o Governo retire as forças ali esta­cionadas, devido ao iminente perigo de insegurança que aquelas posições representam”, refere o comunicado de imprensa.
A delegação do Governo defende, por seu turno, que a suspensão das hostilidades não se deve circunscrever apenas na região da Gorongosa, mas em todo o território nacional e recusa o condicionalismo da Renamo, sobre o afastamento das Forças de Defesa e Segurança.
Os mediadores que retornam a Maputo em meados de Setembro, apelam as partes a se absterem de todas as acções que atormentam o povo moçambicano.
Fonte: Voz Voz da América – 25.08.2016

sexta-feira, agosto 26, 2016

Mediadores propõem presença de observadores internacionais para o cessar-fogo

Os mediadores do diálogo político propõem a presença de observadores internacionais para a cessação dos ataques armados no país. A proposta foi hoje divulgada por escrito, e diz que a cessação dos ataques deve abranger Gorongosa, onde se supõe que esteja o líder da Renamo.
Os mediadores consideram que, para o efeito, deve ser criado um grupo de trabalho capaz de estabelecer as condições para um corredor desmilitarizado para o encontro com Afonso Dhlakama, e, também, manifestam o interesse por um cessar-fogo definitivo, que restabeleça a paz.

Fonte: O País – 26.08.2016

quinta-feira, agosto 25, 2016

O governo levantou um processo contra a Joana Pereira?

Governo levantou um processo contra a moçambicana Joana Pareira que subiu ao pódio com bandeira da Renamo?

Eu não acredito que isso tenha acontecido ou esteja a acontecer ainda que não sei as bases legais desse processo. Contudo, o que não me faz acreditar é que os sucessivos governos da Frelimo nunca levantaram processos contra os que frelimizam as instituições públicas e não menos contra o Faizal Sidat, o ex-presidente da Federação Moçambicana de Futebol que em 2008, usando da Célula Olímpica promoveu uma campanha eleitoral nas autarquias de Nampula à favor dos candidatos da Frelimo.

E as coisas não param aqui, pois se lembrados, no início do Moçambola'2014 foi a Pemba o então candidato da Frelimo à Presidência da República para fazer tudo aquilo que um com boa memória pode não se esquecer. O governo patrocinou tudo isso e não processou a ninguém. Porquê?

Para mim, a Joana Pereira simplesmente demonstrou que desportistas podem ser de todos os partidos, ainda que esses todos partidos sejam moçambicanos. Para ela demonstrou a unidade na diversidade. Tolerem-na ou tomem conta do seu recado.

Bibliografia: aqui, aqui e aqui

1. http://noticias.mozmassoko.co.mz/2016/08/governo-levantou-um-processo-contra-a-mocambicana-que-subiu-ao-podio-com-bandeira-da-renamo.html

2. http://comunidademocambicana.blogspot.se/2008/11/faizal-sidat-est-criar-problemas-em.html

3. http://www.verdade.co.mz/desporto/44668-mocambola-2014-jogo-inaugural-a-22-de-marco-em-pemba



quarta-feira, agosto 24, 2016

10 MUNICIPE DE NAMPULA

12 NAMPULA POPULACAO EXIGE

MUNÍCIPES EXALTAM REALIZACÕES E FALAM DE ASPIRACÕES

Nos 60 anos da cidade de Nampula


A cidade de Nampula celebra na próxima segunda-feira, 22 de Agosto, o 60˚ aniversário de elevação à actual categoria. Alguns munícipes abordados pelo nosso jornal para avaliação do presente estágio de desenvolvimento sócio-económico da urbe, exaltaram as realizações levadas a cabo pela edilidade nos últimos tempos, com destaque para as intervenções havidas na área de estradas, locais de lazer, recolha de resíduos sólidos, entre outras, tendo, porém, pedido um maior cometimento dos gestores municipais na área de saneamento público e abastecimento de água. Ler mais

"- Carta aos detratores da marcha do dia 27!

É por muitos sabido, que no próximo sábado, dia 27 de Agosto de 2016, realizar-se-á na capital moçambicana, Maputo, a «Marcha Popular pela Paz» sob o lema: “O POVO JÁ NÃO AGUENTA: STOP GUERRA, STOP FOME”, organizada pelo Painel de Monitoria do Diálogo Político para Paz.

Conforme mostra o cartaz de propaganda (imagem 1), a marcha terá como ponto de concentração na Estátua do arquitecto da Unidade Nacional, Eduardo Mondlane, pregada junto da avenida baptizada como o seu nome, como tem sido recorrente quando se realizam manifestações na Cidade de Maputo.

Contudo, desde a data que nos separa da divulgação do evento até ao dia de hoje, circulam pelas redes sociais, mensagens provindas de um “grupo” de jovens e demais quadros(?)* procurando descredibilizar e abalar a essência da visada marcha, rotulando-a como uma encomenda da famosa “mão-externa”.

1. O que dizem as mensagens dos detratores?

Os detratores, nas suas mensagens (imagem 2), apontam que a marcha de sábado não tem a sua razão de ser. É irrelevante e visa a prossecução de interesses de cunho eminentemente político-partidário, ou ainda, visa criar desordem, vandalismo, proferir impropérios contra os órgãos de soberania do Estado.

04 TRANSLADACAO 2

A demora na transladação de corpos de dois agentes da PRM agitou hoje a morgue do hospital central de Maputo. 

Os familiares queixam-se da demora e falta de comodidade dos transportes disponibilizados pelo Ministério do Interior. Ver (Video)  MIRAMAR

segunda-feira, agosto 22, 2016

Mediadores apresentam proposta de cessar-fogo imediato

Os mediadores internacionais nas negociações de paz em Moçambique apresentaram uma proposta às delegações do Governo moçambicano e da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) para a cessação imediata das hostilidades militares, anunciou hoje o porta-voz do grupo de mediação.
Falando durante uma conferência de imprensa em Maputo, no fim de mais um encontro da comissão mista, Mario Raffaelli disse que a proposta foi entregue na sexta-feira e que as partes continuam a analisar o documento, escusando-se a comentar o seu conteúdo.
“É uma proposta que toma em consideração o que foi discutido com as duas partes nos encontros que tivemos em separado”, referiu o antigo mediador chefe do Acordo Geral de Paz, firmado pelo Governo e pela Renamo em Roma em 1992, acrescentando que existem “pontos sensíveis” e que precisam de mais discussão.
“Agora começamos a confrontar as posições, tudo em busca de uma solução satisfatória para todos”, acrescentou Mario Raffaelli, que é um dos nomes indicados pela União Europeia para o processo negocial em curso. 

Lusa in Magazine Independente – 22.08.2016