domingo, dezembro 21, 2014

PRM CONTINUARÁ A INVESTIGAR CASO DO RAPTO DO MOMED BACHIR

"...O primeiro detido, identificado por Cardoso, refutou qualquer envolvimento no caso e disse que foi detido na Localidade de Bobole, distrito da Manhiça, na companha de um amigo que para lá se tinha deslocado a fim de o vender uma viatura.

Durante os testes que realizavam, apareceram os agentes da PRM e abriram fogo que além de me ferir, me levaram para a esquadra, disse Cardoso, cuja versão é semelhante a do vendedor do carro, Ivo Soares.

Ivo Faustino, o terceiro individuo detido sexta-feira na sua residência no Posto Administrativo da Machava, também refuta o crime que lhe e imputado e disse desconhecer as razões da sua detenção.

Faustino disse que as forças da lei e ordem saltaram o muro da sua residência e, na presença de crianças e demais membros do agregado, abriu fogo e, de seguida, prendeu a ele juntamente com outros dois jovens que para lá se tinham deslocado com uma viatura de reboque break down para avaliar a possível recuperação do seu carro sinistrado na quinta-feira.


Fonte: AIM – 21.12.2014

sábado, dezembro 20, 2014

Ainda sobre o resgate de Momad Bachir Suleman"



Alguns pontos do vídeo do Bachir na Primeira pessoa:
Estive 38 dias com raptores; 
"Fiquei 12 dias no primeiro cativeiro";
"Maltrataram-me, mas muito, bateram-me porque queriam valor de resgate"
Durante os 38 dias, a comida que me davam era uma macaa e quatro bolachas maria (por dia durante os primeiros 4-dias); 
"Praticamente todos os Raptores eram de nacionalidade estrangeira (Sul africanos e Zimbabweanos)";
"Além de me maltratarem de me maltratarem, não me davam alimentação, nem comida"....( Aqui neste ponto ele me atrapalhou, não entendi a diferença entre maltratar; falta de alimentação e comida);
"Os valores altos que eles pediam erra difícil"


Fonte: TIM in Diálogo sobre Mocambique, editado por Osvaldo Mauaie - 20.12.2014

Momad Bachir Sulemane já foi resgatado

Momed Bachir Sulemane, proprietário do grupo MBS, foi resgatado na madrugada de sábado (20.12.2014), na Vila da Macia, distrito de Bilene, em Gaza, numa operação que envolveu forças especiais da PRM.
Recordar que Momed Bachir havia sido sequestrado no passado dia 12 de Novembro, do corrente ano e, só agora é que foi resgatado. Mais informações sobre o assunto no Primeiro Jornal.

Fonte: O País - 20.12.2014; 

Foto: retirada do mural de Egídio Vaz - 20.12.2014

sexta-feira, dezembro 19, 2014

Défice de livros e uso de cábulas motivaram chumbos em massa

Mais de 200 mil alunos do Ensino Secundário terminaram esta terça-feira, em todo o país, os exames da segunda época. Sabe-se que, de acordo com dados do Ministério da Educação, os 421 746 alunos das 10.ª e 12.ª classes inscritos nos exames da primeira época, metade não conseguiu resultados positivos. As reprovações em massa que marcaram a primeira fase estão a gerar as mais variadas interpretações.
Na cidade de Maputo, alguns alunos entrevistados pela nossa equipa de reportagem alegam que chumbaram na primeira época porque os exames foram difíceis; outros alunos apontam a existência de falhas na atribuição de notas negativas; para outros aina, além das dificuldades na resolução dos questionários, acreditam que os chumbos em massa resultaram da cópia de exames falsos que eram vendidos por desconhecidos em muitas escolas. Ou seja, o uso de cábulas erradas...
Provas compradas
Sabe-se também que outros casos de reprovação têm a ver com o facto de muitos dos alunos terem optado por comprar, de pessoas não reveladas, questionários falsos, julgando que seriam aqueles que viriam nas provas finais .
Já outras fontes entrevistadas pelo jornal “O País”, também na cidade de Maputo, defendem que a responsabilidade das reprovações é de todos os intervenientes no processo educativo, designadamente os professores, os encarregados, o Estado e os próprios alunos.

Fonte: O País – 19.12.2014

Governo diz que a dívida pública começa a emitir sinais de alerta

O ministro das Finanças, Manuel Chang, disse na quinta-feira em Maputo que a dívida do país começa a dar sinais de alerta e corresponde agora a 36% do Produto Interno Bruto (PIB).
"Há um indicador que mostra alguns sinais, mas que não atinge o nível de insustentabilidade. Temos tido todo o cuidado necessário para que este indicador, que é o valor da presente dívida sobre o PIB, não chegue aos 40%" , afirmou Chang, falando aos jornalistas, à margem de uma visita à Bolsa de Valores de Moçambique (BVM).

quinta-feira, dezembro 18, 2014

Eleição intercalar em Cuamba: Frelimo e o seu candidato lideram contagem provisória

Ocorrências

Em mais uma eleição caracterizada pela desorganização, pela troca de cadernos eleitorais e pela abstenção, voltou também a notar-se a partidarização das instituições eleitorais e da Polícia e as práticas fraudulentas do partido Frelimo. Por exemplo, o vice-presidente da Mesa 01003444, na EPC de Mujaua, Armando Pios, foi apanhado a votar ilegalmente com um cartão que não pertence àquela autarquia. Armando Pios, nascido em Pemba, recenseou-se na EPC da Cerâmica.
O director provincial do STAE, Gonçalves Nhachungué, que se encontrava no local, recusou-se a mandar deter Armando Pios, encontrado em flagrante delito.
Três vogais da CNE, nomeadamente, Padre Latino, Fernando Mazanga e José Belmiro tentaram mandar prender o referido cidadão, mas não tiveram sucesso. A Polícia recusou-se a prendê-lo e até abandonou o local na companhia do director do STAE. Um jovem da OJM também foi apanhado em flagrante delito a fazer campanha a favor da Frelimo, mas a Polícia apenas o retirou do local. Vários funcionários do gabinete de propaganda do partido Frelimo em Maputo estão em Cuamba, mas com crachás de observadores nacionais. O STAE não sabe explicar quem andou a distribuir crachás de observadores no partido Frelimo. Este grupo de falsos observadores inclui Sábado Malendza, deputado da Frelimo na Assembleia da República.

Fonte: Canalmoz – 18.12.2014

STV HoraFinal 17 12 2014

quarta-feira, dezembro 17, 2014

Resultados das Intercalares de Cuamba

Acompanhe os resultados parciais das eleicões intercalares de Cuamba no mural do Parlamento Juvenil.

Balanço intermédio (12horas)


Passadas 5horas após o início da votação aqui em Cuamba, temos a registar alguns casos de impedimento de eleitores para exercer o seu direito de voto devido a ausência de nomes nos cadernos eleitorais e a falta de envelopes para a votação especial.

Contudo, a grande preocupação prende-se com a ausência massiva que se regista em vários postos por onde passamos, postos de votação se eleitores, MMVs e escurtinadores sem trabalho é a cara de muitos postos de votação, o que nos faz antever uma grande abstenção. Esperemos ver o cenário desta tarde.


Fonte: Parlamento Juvenil - 17.12.2014

terça-feira, dezembro 16, 2014

CINCO GARIMPEIROS MORTOS NUM CONFRONTO COM A SEGURANÇA

Ontem, na mina de Mavuco

Pelo menos 5 pessoas perderam a vida na madrugada da terça-feira, por queda em jazigos e bala de armas de fogo, quando elementos de uma empresa de segurança privada abriram fogo contra garimpeiros ilegais na área mineira de Mavuco, no posto administrativo de Chalaua, distrito de Moma, em Nampula, concessionada à Paraíba Moçambique Limitada (PML).

Um cidadão que responde pelo nome de Agustavo, membro de uma associação mineira naquela área, contou, quando contactado telefonicamente (através do numero 86 9862122), que a “investida” dos homens da segurança privada, que presume serem da empresa OMEGA, aconteceu a meio da noite da última terça-feira, tendo, em consequência, apanhado as pessoas de surpresa. Ler mais

Coisas da vida - penumbra conjugal P1

"De qualquer forma eu, se fosse a Abdul Carimo, ia preparando uma malinha com alguma roupa, produtos de higiene e medicamentos que tome regularmente porque é sempre desagradável chegar à cadeia sem esse tipo de coisas"


Por Machado Da Graca


Meu caro Sixpence

Espero que estejas bem, assim como toda a tua família. Do meu lado está tudo bem, felizmente.

Onde as coisas parecem não estar a ficar nada bem é para os lados do sheik Abdul Carimo, o Presidente da Comissão Nacional de Eleições.

É o já famoso problema dos editais das últimas eleições.

Depois de Carimo dizer que os editais esta­vam no STAE e de o STAE dizer que estavam na CNE tivemos ainda o porta-voz da CNE a dizer que estavam no Conselho Constitucional (CC).

Ora este Conselho notificou, no fim da sema­na passada, a CNE para que entregue os editais provinciais, dos editais de distrito ou cidade de Quelimane, Alto Molócuè, Ile, Inhassunge, Lugela, Maganja da Costa, Milange, Mocuba, Namacurra, Namarrói, Nicoadala e Pebane. O CC exige ainda cópias originais dos editais considerados impro­cessáveis pela CNE.

CNE entregou “algumas cópias” de editais ao Conselho Constitucional

Originais continuam desaparecidos e a CNE não conseguiu os editais do apuramento centralizado que foi realizado por si própria

Maputo (Canalmoz) – O porta-voz da Comissão Nacional de Eleições, Paulo Cuinica, disse, na noite de ontem, ao “Canalmoz”, que a CNE “já respondeu a todas as solicitações feitas pelo Conselho Constitucional”, referentes aos editais.
“Entregámos hoje todos os documentos pedidos pelo Conselho Constitucional”, disse repetidamente Paulo Cuinica, declinando dizer quantos editais entregaram, e se eram originais ou cópias.

segunda-feira, dezembro 15, 2014

Aeroporto Internacional de Nacala - Setembro 2014

Elite política moçambicana prejudica EDM e os seus clientes, diz o CIP

Num estudo intitulado "Eletricidade de Moçambique: mau serviço, falta de transparência e politizada", o CIP faz várias denúncias, entre elas a ausência de concursos públicos e a participação nociva das elites polítcas.

O Centro de Integridade Pública (CIP) revela na sua mais recente pesquisa que as elites políticas moçambicanas estão envolvidas em negócios de energia elétrica em Moçambique. O estudo diz ainda que as tarifas de energia de Moçambique são das mais altas da região austral de África, apesar do país ser um dos maiores produtores. E a fatura dessas irregularidades é paga pelo consumidor doméstico, enquanto o consumidor industrial paga menos. A DW África entrevistou o autor da pesquisa e colaborador do CIP, Borges Nhamire.

Promulgação dos resultados das eleições moçambicanas só em Janeiro

Dois meses depois dos moçambicanos terem ido às urnas votar pelo novo presidente  e parlamento nacional, a procissão para a validação dos resultados ainda vai no adro.
Os resultados oficiais deram vitória à Frelimo e ao seu candidato presidencial, Filipe Nyusi, mas a oposição continua a contestá-los, considerando terem sido fraudulentos.

“Derrapagem do metical não está relacionado com situação política ” – diz Manuel Chang



Fonte: TIM - 15.12.2014

Prossegue o braço de ferro entre Governo moçambicano e RENAMO

A composição do exército e da polícia de Moçambique em discussão há quase dois meses continua a constituir um impasse nas negociações entre o Governo e a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO).

Apesar de não haver ainda nenhum sinal público do fim do braço de ferro entre o Governo moçambicanbo e a RENAMO, Afonso Dhlakama, líder do maior partido da oposição, já garantiu que em janeiro próximo as suas forças residuais estarão integradas no exército e na polícia nacionais.

Para a delegação do Governo, a demora em terminar com este processso cria implicações para os diversos setores do país.

Tensão pós-eleitoral “enerva” mercado e provoca queda do Metical

A tensão pós-eleitoral começa já a prejudicar a economia nacional. O Banco de Moçambique diz que o metical está a depreciar e que há um ambiente de nervosismo e expectativas negativas no mercado. O dólar americano é cambiado neste momento a 34.5 meticais nos principais bancos comerciais, contra os anteriores 31 meticais.
A reacção da Renamo e do MDM aos resultados eleitorais está a agitar o mercado. Afonso Dhlakama e Daviz Simango dizem que não reconhecem os resultados anunciados pela CNE, e o líder da Renamo está em digressão pelas províncias com a mensagem de criação do governo de gestão ou indicação de governadores nas províncias onde teve maior número de votos.
Do lado da economia, este posicionamento reflectiu-se na maior depreciação do metical face ao dólar. Da média de 30 meticais por dólar antes das eleições, a moeda norte-americana vale agora 34.5 meticais nos principais bancos comerciais, chegando mesmo a 38 meticais nas casas informais.
O Banco Central, no comunicado produzido após a reunião do Comité de Política Monetária, sexta-feira passada, não tem dúvida que esta desvalorização se deve à instabilidade política provocada após o anúncio dos resultados eleitorais.

Fonte: O País - 15.12.2014

EDITAIS REACÇÃO JURISTAS



Fonte: TIM

Os editais

A TALHE DE FOICE 

Por Machado da Graça

Se mais alguma coisa fosse necessária para nos convencer da fraude eleitoral a que assistimos este ano, o folhetim do desaparecimento dos editais chegaria para tirar todas as dúvidas.

As informações dos vários (ir) responsáveis são contraditórias.

O presidente da CNE diz que estão no STAE. O director do STAE diz que estão na CNE e o porta-voz da CNE diz que estão no Conselho Constitucional. Todos eles à espera que o fiel curto circuito os venha salvar com um incêndio que faça desaparecer as provas da bandalheira.

Segundo a Lei Eleitoral, os editais devem estar guardados na CNE e estar disponíveis para consultas pelos principais interessados, nomeadamente os partidos concorrentes e os grupos de cidadãos proponentes.

É, portanto, o sheik Abdul Carimo que tem que apresentar esses editais. Caso não o faça deverá ser enviado para a cadeia onde a Lei lhe reserva uma estadia de seis meses, além de multa.

E esperemos para ver e ouvir aqueles que, quando isso lhes convém, afirmam que as leis têm que ser cumpridas estritamente.

Mas para que é que os editais são agora precisos?

– AGENTES DAS FDS SURPREENDIDOS A VENDER ARMA DE FOGO

A Polícia moçambicana (PRM), a nível da cidade de Maputo, deteve três agentes das Forças Armadas de Defesa e Segurança (FDS), incluindo um oficial com a patente de tenente, quando tentavam vender uma arma de fogo do tipo AK-47 e dois carregadores.

O facto aconteceu último domingo no distrito municipal da Ka Tembe.

A AK-47 estava a ser comercializada ao preço de 140 mil meticais (cerca de 4,2 mil dólares ao câmbio corrente).

Eleições: Editais do escrutínio entregues hoje ao Conselho Constitucional

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) vai entregar hoje ao Conselho Constitucional (CC) os editais do apuramento intermédio e final dos resultados das eleições gerais de 15 de Outubro, disse à Lusa o porta-voz do órgão.
"Vamos entregar hoje ao CC os editais do apuramento intermédio, correspondente aos resultados provinciais, e do apuramento final", afirmou Paulo Cuinica.