quarta-feira, fevereiro 10, 2016

Governante britânico confirma contacto com Dhlakama e lamenta falta de confiança

O ministro britânico para o Desenvolvimento Internacional, Nick Hurd, confirmou hoje um contacto telefónico com o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, e lamentou a "falta de confiança" entre as partes envolvidas na crise política em Moçambique.
Falando no aeroporto, no final de uma visita de dois dias a Moçambique, o governante britânico não forneceu detalhes da conversa telefónica que manteve com o presidente da Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), maior partido de oposição, deixando apelos para a estabilidade e reconciliação, em vez do "regresso à violência e à guerra".
O contacto de Hurd com Dhlakama, que se encontra presumivelmente escondido na serra da Gorongosa, centro do país, foi avançado hoje pelo Presidente moçambicano, um dia depois de se ter avistado com o governante britânico.

A OMM no começo

Por Eusébio P. Gwembe

Em 1963, Eduardo Mondlane incumbiu Janet Mondlane e Priscila Gumane a missão de fundarem a Liga Feminina de Moçambique, precursora da actual OMM, hoje reunida na Matola mas, diz um documento «não se mostraram capazes e, por temperamento e falta de persistência, acabaram por desistir». Coube a Selina Simango, a espinhosa tarefa de organizar as mulheres e fundar a LIFEMO. A convite da Federação das Mulheres Chinesas, a Srª Selina Simango deslocou-se a China em 1 de Abril de 1964, onde teve ocasião de visitar quatro províncias nas quais apreciou o trabalho feito pela mulher chinesa na reconstrução da sua pátria. Visitou fábricas, comunas, creches, hospitais, etc. Teve a oportunidade de ver e compreender a maneira como elas participaram na revolução e como naquele ano trabalhavam ao lado dos seus maridos na construção do seu país. Interessou-se muito pela organização, que considerara um bom exemplo para a mulher Moçambicana. Viera da China com mais coragem e animação para continuar a luta de Libertação de Moçambique. E, disse que a mulher Moçambicana devia, ao lado do homem, dar também a sua contribuição directa, na luta contra o inimigo comum pela Independência total e Completa de Moçambique». Foi um trabalho moroso, mas bem conseguido. De 31 de Maio a 4 de Junho de 1966, a Liga Feminina de Moçambique (LIFEMO) realizou o seu I Congresso em Mbeya, Tanzânia. No discurso de abertura a Sra Selina Simango, Presidente da LIFEMO, referiu-se a participação da mulher moçambicana na luta armada, dizendo: "Neste mesmo momento em que estou a falar, centenas de mulheres em Moçambique enfrentam com armas na mão o inimigo ou defendem as populações. Algumas delas já deram as suas vidas em batalhas violentas. Muitas mais farão o mesmo. Por isto, nós podemos ver que a mulher moçambicana está a dar a sua completa participação na luta, de libertação de Moçambique".

Algumas Fontes para consultas
1. Frelimo, ACTIVIDADES DA FRELIMO NO EXTERIOR, Boletim de informação, no. 8 May 1964:5ss
2. Frelimo: SISTER SELINA SIMANGO IN CHINA. Mozambican revolution, no. 7, June, 1964:5
3. Frelimo: Discurso de abertura a Sra Selina Simango, Presidente da LIFEMO, A voz da revolução, no. 6, Sept. 1966:9
4. Frelimo, opening speech by the President of LIFEMO, Mrs. Selina Simango, Information bulettin. vol. 2, June- July, 1966:5


terça-feira, fevereiro 09, 2016

Agentes da PRM acusam corporação de corrupção

A Polícia da República de Moçambique (PRM) é acusada de corrupção no processo de recrutamento de agentes para aquela corporação, noticiou o semanário Magazine Independente, na sua edição do 09 de Fevereiro de 2016. Segundo o semanário, ainda que o candidato reúna todos os critérios exigidos deve estar munido de 15 mil meticais para obtenção de uma vaga na Polícia de Protecção.

Mexidas na Frelimo questionam real liderança de Nyusi no partido

Numa altura em que grande parte da opinião publica esperava mudanças de vulto no seio do partido dos camaradas, uma medida que colocava em prova, a real liderança do Actual presidente do partido sobre os seu camaradas.a Frelimo reestruturou sexta-feira passada o secretariado do seu Comité Central, mas manteve o secretário-geral e a Comissão Política deste Partido, que vem desde a presidência de Armando Guebuza.

O actual presidente da Frelimo, inseriu esta reestruturação no contexto da desacumulação de tarefas dos membros do secretariado do Comité Central, de modo a que eles possam ter maior disponibilidade para as missões que lhes são inerentes.

Governo pronto para responder bloqueios da Renamo na N1

A policia da Republica de Moçambique disse hoje em conferencia de imprensa que vai responder a medida no sentido de impedir que a Renamo coloque postos de controlo ao longo da estrada nacional N1,6 e 7.

Segundo o porta voz do comando Geral Inácio Dina, a policia vai impedir qualquer tentativa da Renamo em fiscalizar toda N1.

Dina referiu que o Estado vai usar todos meios ao seu alcance para impedir o bloqueio, porque o estado tem um mandato para o efeito.

Graça Chongo diz que não há tensão militar

O Chefe do Estado-Maior General, Graça Chongo, disse que não há confrontos militares no país, em contradição aos acontecimentos ocorridos recentemente em Morrumbala, na Zambézia, e noutros distritos do centro e norte do país.
Chongo falava à margem da cerimónia do dia dos Heróis Moçambicanos, realizada na cidade de Maputo, a capital moçambicana.
 “Não há registo de confrontos entre militares no país. O que está acontecer são disparos feitos por indisciplinados”, afirmou Chongo, de acordo com o Magazine Independente, na edição do dia 09 de Fevereiro de 2016.
O general recusou ainda que as Forças de Defesa e Segurança (FDS) estejam envolvidas em ataques com os homens armados da Renamo, refutando o que este partido e a comunicação social vêm transmitindo. Chongo alegou tratar-se de “disparos de homens armados que procuram perturbar a paz”.
Contudo, recentemente a comitiva do líder da Renamo sofreu uma emboscada e pelo menos 21 mortes foram registadas e cerca de 9 mil alunos correm risco de perder o ano lectivo, segundo as autoridades de Morrumbala, devido a instabilidade política e militar que se vive.

Fonte: Ídole – 09.02.2016

Fernanda Teixeira demite-se do cargo de Directora do Gabinete da Primeira-Dama

Fernanda Teixeira foi exonerada do cargo de Directora do Gabinete da Primeira-Dama da República de Moçambique, através do despacho presidencial número 1/2016, de 11 de Janeiro de 2016, ainda não tornado público oficialmente.
Contactado pela Ídolo, o Gabinete de Imprensa da Presidência da República disse não ter conhecimento da referida informação. Entretanto, a revista contactou também a ex-Directora que confirmou e revelou que trabalhou até finais de Janeiro, após pedir demissão por razões familiares.

Fonte: A Bola – 09.02.2016

Ministro Ferrão não quer telemóveis nas salas de aulas

O uso de telemóveis, vulgos celulares nas salas de aulas é visto como uma das causas de baixo aproveitamento pedagógico nas escolas um pouco pelo país.
E para que essa prática não ganhe moda para as gerações vindouras, o ministro de Educação e Desenvolvimento Humano do nosso país, Jorge Ferrão, anunciou que a partir do presente ano lectivo o uso de telemóveis nas salas de aulas passa a ser proibido. Falando em Alto Molócuè aquando da abertura do ano lectivo, Ferrão explicou que em muitas ocasiões, os professores interrompem aulas para atenderem chamadas ou mandar “sms” e quando assim acontece, os alunos também aproveitam-se e também fazem a mesma coisa que o professor fez. Isso na óptica do ministro perturba a concentração quer do professor assim como do aluno.
Refira-se que o aproveitamento pedagógico do ano lectivo findo esteve abaixo dos 80% situação tida como preocupante para o sector.

Fonte: Diário da Zambézia – 09.02.2016

segunda-feira, fevereiro 08, 2016

Governo moçambicano prepara regresso de quatro mil "deslocados" do Malaui

O Governo moçambicano vai preparar o regresso de quatro mil pessoas que se encontram em centros de acolhimento no Malaui, alegadamente em fuga da crise política e militar no centro de Moçambique.
"A tarefa do Governo é, numa primeira fase, identificar cerca de quatro mil pessoas, saber de onde elas são, e depois prestar-lhes assistência", disse à Lusa fonte diplomática moçambicana, salientando a importância da terminologia aplicada a este caso e que se trata de "deslocados" e não de refugiados.
Segundo a mesma fonte, o alto comissário de Moçambique (embaixador) no Malaui está a acompanhar de perto a situação daquelas quatro mil pessoas no país vizinho, para onde seguiu também uma equipa de elementos do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação e do Ministério do Interior.

STV NoiteInformativa 07 02 2016

sábado, fevereiro 06, 2016

Quando não faz recorrer a inveja ao feito por outros?

Há gente que não faz, não deixa fazer e fica com inveja pelo que é feito por quem quer fazer.
Conta-se uma história incrível nas bandas do Chiveve. Diz-se que o Conselho Municipal da Beira, esse que se localiza no Chiveve, em cumprimento do seu manifesto eleitoral bem recebido por aqueles munícipes, construiu e equipou nove salas de aulas. Mas diz-se que na entrega desses edífícios, o director da escola,  director distrital e mesmo provincial de educação boicotaram. Eu só posso concluir que:
a)      Deve-se a mentes partidarizadas. Podemos imagir que todos esses que boicotaram, se calhar, ontem dia de abertura do ano lectivo, tiveram os seus comeretes e beberetes nesses mesmos edifícios. É o poder da Frelimo e nem que seja fictício que lhes guia.

quinta-feira, fevereiro 04, 2016

Praca dos Heróis de Nampula


In: El Patriota

O Conselho Municipal da Beira construiu e equipou uma escola



In Conselho Municipal da Beira

Renamo denuncia rapto de dirigente no centro de Moçambique

A Renamo (Resistência Nacional Moçambicana) denunciou hoje o rapto do seu delegado distrital de Gondola, Manica, centro do país, por um grupo armado à civil. 
Em declarações à Lusa, Sofrimento Matequenha, delegado político provincial da Renamo em Manica, contou que um grupo de homens introduziu-se na noite de Quarta-feira na casa do delegado distrital de Gondola e raptou-o, mantendo-se desaparecido.
"Os homens entraram na sala e encontraram-no a assistir televisão às 21:00 horas de Quarta-feira, raptando-o. Mas o delegado resistiu e foi imobilizado com um tiro no pé. Quando o filho tentou acudi-lo, também foi atingido no braço", explicou Sofrimento Matequenha, acrescentando que a situação provocou o pânico entre os vizinhos.

terça-feira, fevereiro 02, 2016

STV OpiniaoPublica 01 02 2016

Moçambique: riqueza e miséria de mãos dadas, a segunda alimentando a primeira

Apesar da desaceleração actual, Moçambique está a viver um ciclo de crescimento económico inédito e as profecias do FMI anunciam um futuro ainda animador. Mas o que isso significa para a maioria dos moçambicanos e moçambicanas? A resposta não é agradável: riqueza e miséria, a segunda alimentando a primeira sempre à custa da justiça. Ler mais (Pambazuka News)

MDM pede ao Governo para apoiar os refugiados moçambicanos no Malawi

Daviz Simango diz que os refugiados devem ser considerados como tais porque fogem à violência em Moçambique.
O presidente do Movimento Democratico de Moçambique (MDM), terceira força parlamentar, apelou nesta terça-feira o Governo a accionar mecanismos de assistência aos refugiados moçambicanos no Malawi e insistiu que a negação da sua existência pode prejudicar a vida e segurança.
“Apelamos as autoridades moçambicanas para que accionem instituições vocacionadas para estas situações e enviem com urgência os apoios necessários para proporcionar o conforto possivel, no sentido de dar resposta a esta crise humanitária, resultante da cultura de violência instalada, da intolerância politica e de ausencia de paz”, declarou Daviz Simango em conferência de imprensa na Beira, depois de visitar os refugiados no Malawi.
A Comissão Politica Nacional do MDM visitou o país vizinho durante três dias para apurar “uma versão genuína” da situação que tem forçado os residentes de povoados de Moatize em Tete a deixar o país.