sexta-feira, Outubro 05, 2012

12 anos depois: Dhlakama e Raul Domingos novamente amigos

O presidente da Renamo, principal partido da oposição moçambicana, Afonso Dhlakama, e o seu antigo número dois, Raul Domingos, expulso do partido em 2000, festejaram juntos o Dia da Paz num reencontro de "verdadeira reconciliação".

Raul Domingos, que combateu com Afonso Dhlakama ao lado da guerrilha de 16 anos movida pela Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), foi afastado do partido por alegadamente negociar favores pessoais com o Governo da Frelimo.

Raul Domingos terá alegadamente colocado os seus interesses pessoais acima dos do partido, durante reuniões secretas com o Governo destinadas a encontrar uma solução política para a crise gerada pela recusa da Renamo em reconhecer os resultados das eleições gerais de 1999, ganhas pela Frelimo.

Para assinalar o 20.º aniversário do Acordo Geral de Paz, celebrado quinta-feira em todo o país, Afonso Dhlakama e Raul Domingos encontraram-se em Quelimane, posando depois sorridentes para a comunicação social, pela primeira vez após as divergências que tiveram em 2000.

"Quer ao mais baixo nível quer ao mais alto nível da liderança da Renamo, cumprimentamo-nos com sorrisos nos lábios, sem remorsos e sem ressentimentos. Esta é que é a verdadeira reconciliação", disse aos jornalistas Raul Domingos, aproveitando para fazer uma exortação ao país sobre a necessidade de maior concórdia.

"É uma paz mais do calar das armas, mas não de benefícios económicos, porque passados 20 anos, há ainda pessoas que não sabem o que vão comer, se vão conseguir levar o filho à escola ou ao hospital por falta de meios", enfatizou Raul Domingos.

Apesar de o líder da oposição ter fundamentado a expulsão do seu antigo número dois com "traição", analistas da vida política do país interpretaram a media como uma forma de Afonso Dhlakama afastar um adversário ao posto de presidente da Renamo, que ocupa desde 1979.

Fonte: Rádio Mocambique/Lusa – 05.10.2012

1 comentário:

Anónimo disse...

Amizade! o que e amizade? e um sentimento singular, disenterado, que une dois ou mais seres. Amizade e uma flor que nunca murcha, fogo que abraza sem queimar, agua que mata sede sem saciar. Basta de tanta filosofia. Eu estou grato por esta grande amizade entre os melhores filhos do povo, O Raul e o Afonso fizeram muito bem, esta amizade me recorda as hostoricas amizades por exemplo entre Chissano e Mocumbi, Samora e Marcelino, para ir mais longe Ngungunhana e Makungulo. Arriaga e Caetano e muitos outros. Amizade existe desde o principio da Humanidade desde Adao e Eva que o homem e amigo do homem, por isso estes dois homem voltam ao que constitui a raiz do humanismo e da irmanidade. Nos os Mocambicanos por natureza somos amigos uns dos outros, por exemplo a minha esposa e da Frelimo e eu sou um declarado apoiante de Daavid e Urias Simango, esses dois genios da Politica Mocambicana, que tem uma visao exacta do que ha por fazer e como fazer para que a riquesa chgue a casa de cada um. Digo isto nao e porque eu esteja a passar fome nao. Tambem nao tenho nada contra o Guebusa, Eu so nao gosto dos que destroem o pais, mas em cada partido ha gente desse tipo, nao so na minha formacao mas tambem na renamo na frelimo. Penso que os grandes lideres, os nobres filhos do povo como o Simango, Dhakama, Guebusa tem que defender o poco, contra os ,alfeitores que andam por ai a destruir tudo. Se tivermos e mantermos a amizade entre o povo sobretudo a irmanidade poderemos superar a presente situacao de que um esta com fome o outro tem comida de mais, ha vezes em que a minha esposa cozinha mais do que devia e entao se eu tiver um amigo, como o Dhakama e o Raul, poderia convidalos ao almoco. Eu taambem gostaria de ser amigo do Dhakama, do Raul, mas sobretudo do Guebusa, para que ele convidase ao palacio, aos banquetes, nao quero dizer que sou guloso, mas se fosse amigo dele nao havia de recusar esses convites, com muito gosto iria la. Eu sobretudo gosto de ser amigo de todos, gosto de conversar e ser aberto. O nosso pais e tao belo, por isso temos que ser abertos e amigos uns dos outros compartihar o que temos de bom. Ha vezes em que gostaria de sentar-me com alguem e nas calmas na brisa do praia la em laulane beber um bom ntontonto, e conversar entre os copos sobre as questoes do pais e do povo. Eu poderia dar bons conselhos, pois ha vezes em que os nossos lideres por terem muito trabalho nao tem uma ideia das questoes do povo, mas se por exemplo um dos noosos lideres quizese encontrar-se comigo e cinversar entre os copos de ntontonto poderiamos conversar, isso tb e benefico para eles, eles precisam de descansar e rekaxar pois trabalham muito, por exemplo depois de estes dias trbalhosos no congreso tem que foltar e trabalhar a todo o folego para o bem do pais, eu sempre me pergunto sera que eles tem tempo para a amizade? a amizade e fraternidade sao primorfiais a meu ver, nos os mocambucanos temos que apoir ao nosso governo dar lhes alento, para que sintam a nossa maizade e gradidao por estr a trabalhar para o povo, tomem em conta que por exemplo o Guebusa depois de trabalhar intensivamente como presidente ainda vai ter que trabalhar como presidente da relimo, os nossos lideres sao exemplo de trabalho constante em prol do povo e por isso merecem a nossa amiza incondicional.