sexta-feira, outubro 30, 2015

A GORONGOSA E MORRUMBALA: Ministro do Interior confirma ataques da Renamo

Nota de reflexão: Será que o Ministro do Interior e o Comandante-Geral da PRM estão em total desobediência ou o Presidente Nyusi falta a verdade à nação moçambicana?

O Ministro do Interior, Jaime Basílio Monteiro, confirmou ontem que as regiões de Gorongosa e de Morrumbala, nas províncias de Sofala e Zambézia, respectivamente, têm estado a registar, nos últimos dias, violentos confrontos armados entre as Forças de Defesa e Segurança (FDS) e efectivos residuais da Renamo.

O governante falava na localidade de Canda, no distrito de Gorongosa, à margem da cerimónia do lançamento da campanha agrícola 2015/2016, na província de Sofala, na qualidade de mandatário do Presidente da República, Filipe Nyusi.

De acordo com o ministro, na quinta-feira, na região de Vunduzi, em Gorongosa, homens armados da Renamo emboscaram e atacaram uma viatura da Unidade de Intervenção Rápida (UIR) que fazia patrulha na região. O ataque resultou no ferimento de dois agentes da corporação.

Apesar desta situação que considerou de grave ameaça à paz, o ministro do Interior garantiu que as FDS vão continuar as acções de desmantelamento das bases da Renamo, que as considera “ninhos de instabilidade”, para que a ordem e tranquilidade públicas sejam mantidas, em todo o território nacional.

Jaime Basílio Monteiro lembrou que esta acção começou no passado dia nove do mês em curso, quando as FDS desarmaram a guarda pessoal do líder da Renamo, Afonso Dhlakama, na cidade da Beira.

“É nossa principal missão garantir a ordem e tranquilidade públicas. Por isso, vamos continuar a envidar esforços no combate à criminalidade, sobretudo a praticada com recurso a armas, principalmente agora que começaámos a campanha agrícola, porque a população quer trabalhar a terra de forma livre e pacífica, para aumentar a produção e a produtividade. Vamos desmantelar todos até ao último ninho de instabilidade”, garantiu o ministro do Interior.

Questionado sobre o alegado “desaparecimento” de Afonso Dhlakama, Jaime Basílio Monteiro afirmou que o líder da Renamo é um cidadão livre de estar em qualquer sítio que quiser e a Polícia vai fazer a sua parte de o proteger como qualquer cidadão.

Aproveitou a ocasião para apelar à vigilância de todos os cidadãos, no que diz respeito a movimentações suspeitas de homens armados, que devem ser denunciadas às unidades da Polícia da República de Moçambique.

PRM PROMETE DESARMAR A RENAMO EM MORRUMBALA

O COMANDANTE-GERALda Polícia da República de Moçambique (PRM) diz que a corporação vai desarmar os homens da Renamo que, na última quarta-feira, atacaram e incendiaram residências da população em Morrumbala, na província da Zambézia.


Jorge Khalau afirmou que, neste momento, a polícia mantém a segurança e tranquilidade da população, naquele distrito.


O Comandante-Geral da PRM sublinhou que a corporação vai continuar a desenvolver acções, visando a neutralização dos homens armados da Renamo que aterrorizam a população.

Segundo Jorge Khalau, Afonso Dhlakama, o líder da Renamo autorizou a entrega das armas por isso não há razões de elas continuarem em mãos alheias.

Jorge Khalau, que falava ontem, em Maputo, numa conferência de imprensa referiu que Afonso Dhlakama é um cidadão livre, por isso passeia onde quiser e não fugiu para lado nenhum, porque nunca ficou preso.

Sobre o combate contra o crime, perpetrado por assaltantes à mão armada, Jorge Khalau disse que a corporação já começou a neutralizar os meliantes, tendo sido atingidos mortalmente quatro, que aterrorizavam as cidades de Maputo e Matola.

Segundo Jorge Khalau, a polícia continuará a fazer o seu trabalho de busca e captura dos assaltantes. (LAITON SIFA)


Fonte: Jornal Notícias – 31.10.2015

4 comentários:

Fernando Gil disse...

Alguém acredita que Jacinto Nyusi ia desobedecer ao seu "padrinho"? Nyusi é apenas "fachada". Basta, ultimamente, ouvir Talapa, Paunde e Damião José.

Eduardo Leite disse...

Sobre casas incendiadas, as populações locais, tanto em Mpindanganga assum como di sabe duzem que foram os soldados da FIR que incendiar as casas para que a população não dê guarita as Forças da Resistência. Provavelmente, os comandantes não deram toda a verdade, ou o Comandante Geral usa os métodos dis Vietkongos, que mandavam matar às populações, depois vinha com lágrimas de crocodilos, chorar e dar um pedaço de pão, para tentar ganhar um pouco de credibilidade perdida já faz anos.

Strukel disse...

Ixo Vai Pegar Fogo parece-me nao haver intenxao de desistir em nenhum dos lados afinal me respondam uki o nyuss ta a fazer sempre falar de paz sem efectivar

Strukel disse...

Ixo Vai Pegar Fogo parece-me nao haver intenxao de desistir em nenhum dos lados afinal me respondam uki o nyuss ta a fazer sempre falar de paz sem efectivar