quinta-feira, janeiro 08, 2015

“Nem sei classificar a decisão da polícia porque não vi nenhum mandado”

Porta-voz de Dhlakama diz que há pessoas que estão insatisfeitas com a sua eleição a deputado. Diz ainda que a violência verbal que pratica corresponde à medida dos que atacam a Renamo.
Vinte e quatro horas depois deter sido detido e solto, António Muchanga “abriu o livro” sobre o polémico processo que o conduziu às celas do porto de Maputo.
O porta-voz do líder da Renamo diz que a sua detenção, terça-feira última, foi ilegal, até porque não lhe foi apresentado nenhum mandato de captura, nem sequer foi formalizada. Muchanga diz ainda estar a ser vítima de perseguições por parte de um grupo denominado “G-40” e alguns oficiais da polícia, que “não estão satisfeitos com o facto de ser deputado e membro do Conselho de Estado”.
Irónico, disparou: “Eu nem sei classificar isto, porque não vi nenhum mandado de busca. Não vi nenhum auto. O que sei é que nunca andei foragido da justiça.
Na segunda-feira, fui à Presidência da República buscar uma requisição para meter na revisão a viatura que estou a usar do Conselho de Estado. Essa avaria tornou-se grave e, no mesmo dia, ficou na sede da Renamo”, começou por explicar António Muchanga.


Fonte: O País online – 08.01.2015

1 comentário:

Dias Manuel disse...

A propria frelimo viu seus membros serem perseguidos pelo regime colonial mas porque o justo sempre triunfa a frelimo acabou triunfando nessa guerra contra o colonizador; Sr Muchanga se esta' no caminho da justica, mesmo que o persigam, o seu movimento triunfara sem duvida!