quarta-feira, Janeiro 28, 2009

O novo currículo no ensino geral

O Paísonline publicou a notícia sobre a introdução do novo currículo no ensino secundário a qual repúblico para a sua reflexão. Eis:

MEC introduz novo currículo no ensino geral

Escrito por Francisco Mandlate

QUARTA, 28 JANEIRO 2009 14:50

O ensino deverá ser profissionalizante até o ano de 2012, altura em que as disciplinas como Biologia, Física e Químicas estarão agrupadas numa disciplina e História e Geografia noutra. Este ano vão ser introduzidos no anterior curriculo disciplinas de Empreendedorismo e Agropecuária.

O Ministério de Educação e Cultura vai introduzir este ano o novo curriculo no Ensino Secundário Geral. Segundo Isac Manhique, técnico do Intituto Nacional de Desenvolvimento de Educação, nesta primeira fase, as 8ª e 9ª classes é que vão ser alvo de alterações com a introdução de novas disciplinas que vão dar aos alunos habilidades profissionais de modo a fazer face aos desafios do mercado de emprego ao contrário do actual curriculo.

No entanto, as duas classes não vão sofrer grandes alterações este ano, uma vez que o novo curriculo está a ser introduzido paulatinamente, esperando-se a sua conclusão em 2012 quando mais disciplinas profissionalizantes forem introduzidas e agrupadas algumas disciplinas do curriculo actual em apenas uma. Neste processo as disciplinas de Biologia, Química e Física vão ser agrupadas na disciplina de Ciências Naturais, enquanto que as de História e Geografia serão integradas na disciplina de Ciências Sociais, enquanto que matemática, português, inglês e francês vão se manter como estão actualmente, “esta integração vai dar espaço para a colocação de novas disciplinas nestas classes, sem que seja necessário aumentar a carga horária da própria formação”.

Este ano vão ser introduzidos no anterior curriculo disciplinas de Empreendedorismo e Agropecuária nas classes acima referenciadas. Para tal o Ministério de Educação e Cultura já contratou mais de 485 professores para leccionar a disciplina de Agropecuária, e um número não especificado de professores da disciplina de Empreendedorismo. A introdução de outras disciplinas profisionalizantes como é o caso de Artes Cénicas, Psicopedagógia, entre outras está dependente ainda da formação do corpo docente que ainda está a decorrer e à medida do número formado de professores as disciplinas serão introduzidas no ensino secundário geral.

“Os professores contratados para a disciplina de Agropecuário sairam, na sua maioria, dos Institutos Agrários espalhados pelo país e têm nível médio” esclareceu a fonte.

Até 2012 o Ministério de Educação e Cultura espera que o processo de introdução do novo curriculo do Ensino Secundário Geral esteja concluido, dando assim viragem à constante reclamação dos formandos, pais e encarregados de educação e do mercado de emprego de que os graduados neste subsistema de ensino não tem habilidades que os possam a dar o seu contributo na luta contra a pobreza no país.

Neste momento o MEC está a ministrar em todo o país cursos de formação de curta duração para delegados de diferentes disciplinas leccionadas naquele subsistema de ensino para se familiarizarem com as alterações que se pretendem introduzir no ensino no país.

3 comentários:

Chacate Joaquim disse...

Aló reflectindo, é bem vinda a ideia só não entendo como é que o INDE planificou isso porque o material didáctico para esta disciplina, Agropecuária por exemplo exige existência de campos para cultivo e criação de animais é diferente de serralharia, construção, carpintaria, electicidade etc. veja que muitas universidades gostariam de dar cursos como medicina, agronomia etc mas o nível de exigência entermos de infra-estruturas e meios de trabalho é difícil. as escolas técnicas (industrial) não estam aconsiguir resolver as necessidades do mercado porque os alunos aí graduados são formados com equipamento obsoleto! é só esperar para ver.

Reflectindo disse...

Obrigado Chacate! A ideia é mesmo bem vinda e ao que escreves é o que eu gostaria que todos nós reflectissemos. Pessoalmente espero ter um tempo para apresentar claramente o meu ponto de vista sobre toda a matéria. Estou também procurando mais informacão.

Mas uma questão pontual é sobre o agrupamento de disciplinas. É problemático ainda que os professores que temos foram formados para no máximo leccionarem duas disciplinas. E o que vai implicar na reforma sobretudo nas ciências naturais? Professores que leccionam disciplinas em que não foram formados?

Nell disse...

A ideia, isto é a iniciativa do governo é positiva, pois responde as necessidades da globalização e avanço das tecnologias, mas o INDE peca somente só, pela brusca tomada de decisão, isto pode afectar de maneira negativa o desempenho dos alunos, como também na assimilação as novas exigências no PEA (processo de Ensino e Aprendizagem), a mudança do meu ponto de vista tinha que ser gradual e estratégica.