segunda-feira, Março 31, 2008

O Comportamento inaceitável do Zico ou Ziqo

Não tenho como evitar um assunto que mexe a minha cabeça como o de um cantor de moda em Moçambique, promovido a star na telefonia móvel como o savana o descreveu. Antes de eu dizer o que está no meu cérebro, quero dizer que fiquei esperando o que vinha dos de tantos que já foram críticos da Dama Bling por mostrar as suas pernas ou para em busca de razão humana por ela ter remexido, remexido a barriga, enquanto estava grávida, ou a Neyma pelos seus olhos azuis. E para já é também importante referir-me da crítica incessável ao Azagaia vinda da classe académica e ou política. Mas o Azagaia transmite uma mensagem à nação de luta contra certa atitude inaceitável de certos governantes, responsáveis pela destruição do nosso tecido social.

O Zico ou Ziqo agiu duma forma inaceitável. Não podemos fazer de contas que não vimos isso. Um artista que devia ser o exemplo de sucesso para os nossos jovens não devia estar a produzir filmes pornográficos como ao que vimos. Até me interrogo se aquela mulher jovem foi voluntariamente filmada a fazer relações sexuais assim visivelmente. Se foi voluntariamente sabia ela da consequência como está de voluntaria ou invonluntariamente estar a assistí-la? Alguma medida correctiva devia se tomar pela sociedade. A medida tomada pelo Mcel é muito correcta entanto que é uma empresa. Resta saber o que mais se fará para marcar-se a fronteira entre o que aceitamos e o que não aceitamos.

16 comentários:

Anónimo disse...

Onde Esta a Tolerancia ?

Qual e a fronteira entre o que aceitamos e o que nao aceitamos ?
estamos num mundo cheio de hipocrisia , de preconceitos e indiferenca em relacao ao outro, em que todos os dias morrem criancas de fome e de ma nutricao, mortes pelas maos da propria policia...o governo 'e aquilo que sabemos ...entao Porque esteriotipar as relacoes sexuais?
passo a citar :
" WAS – World Association for Sexology

Durante o XV Congresso Mundial de Sexologia, ocorrido em Hong Kong (China), entre 23 e 27 de agosto p.p., a Assembléia Geral da WAS – World Association for Sexology, aprovou as emendas para a Declaração de Direitos Sexuais, decidida em Valência, no XIII Congresso Mundial de Sexologia, em 1997.

Declaração dos Direitos Sexuais

Sexualidade é uma parte integral da personalidade de todo ser humano. O desenvolvimento total depende da satisfação de necessidades humanas básicas tais quais desejo de contato, intimidade, expressão emocional, prazer, carinho e amor.

Sexualidade é construída através da interação entre o indivíduo e as estruturas sociais. O total desenvolvimento da Sexualidade é essencial para o bem estar individual, interpessoal e social.

Os direitos sexuais são direitos humanos universais baseados na liberdade inerente, dignidade e igualdade para todos os seres humanos. Saúde sexual é um direito fundamental, então saúde sexual deve ser um direito humano básico. Para assegurarmos que os seres humanos e a sociedade desenvolva uma sexualidade saudável, os seguintes direitos sexuais devem ser reconhecidos, promovidos, respeitados e defendidos por todas sociedades de todas as maneiras. Saúde sexual é o resultado de um ambiente que reconhece, respeita e exercita estes direitos sexuais.

1.O DIREITO À LIBERDADE SEXUAL – A liberdade sexual diz respeito à possibilidade dos indivíduos em expressar seu potencial sexual. No entanto, aqui se excluem todas as formas de coerção, exploração e abuso em qualquer época ou situações de vida.

#

O DIREITO À PRIVACIDADE SEXUAL – O direito às decisões individuais e aos comportamentos sobre intimidade desde que não interfiram nos direitos sexuais dos outros.
#

O DIREITO A LIBERDADE SEXUAL – Liberdade de todas as formas de discriminação, independentemente do sexo, gênero, orientação sexual, idade, raça, classe social, religião, deficiências mentais ou físicas.
#

O DIREITO AO PRAZER SEXUAL – prazer sexual, incluindo autoerotismo, é uma fonte de bem estar físico, psicológico, intelectual e espiritual.
#

O DIREITO À EXPRESSÃO SEXUAL – A expressão é mais que um prazer erótico ou atos sexuais. Cada indivíduo tem o direito de expressar a sexualidade através da comunicação, toques, expressão emocional e amor.
#

O DIREITO À LIVRE ASSOCIAÇÀO SEXUAL – significa a possibilidade de casamento ou não, ao divórcio, e ao estabelecimento de outros tipos de associações sexuais responsáveis.

em fim

Anónimo disse...

houve casos de professor que, em Gaza, viola sucessivamente as suas alunas e, também sucessivamente, vai sendo transferido de escola para escola.
casos como esse ocorrem no pais sob os olhos das autoridades e nada 'e feito...olha que sao educadores oficiais do aparelho de estado..."e ou nao assedio sexual ?

Reflectindo disse...

Caro primeiro anónimo. Obrigado pela visita.

Por um lado, não sei se lhe entendi. Por outro, não sei se viu o video que o mundo (eu vi) viu o Ziqo a fazer relacões sexuais com a moca. E por último já entendeu o caro anónimo de porque procurou anonimato isso em consideracão ao acto do Ziqo.

Abraco

ximbitane disse...

Agradeço ao anonimo por mostrar, no seu discurso, a Declaraçao dos Direitos sexuais.

Concordo até quando questiona "Qual e a fronteira entre o que aceitamos e o que nao aceitamos ?
estamos num mundo cheio de hipocrisia , de preconceitos e indiferenca em relacao ao outro, em que todos os dias morrem criancas de fome e de ma nutricao, mortes pelas maos da propria policia...o governo 'e aquilo que sabemos ...entao Porque esteriotipar as relacoes sexuais?"

Podemos até viver na hipocrisia, nos preconceitos e na suposta indiferença em relaçao ao outro (não sera esta preocupação de exposição dum cantor sobejamente conhecido uma preocupação para connosco e para com os outros?) mas uma coisa é certa, se nos pomos aqui, por exemplo, a solicitar bens para as vitimas do Jockwe, acredita, anonimo, que essa empreitada tera exito?

Anónimo disse...

O que aparece no vídeo fere a moral social e denigre a imagem DOS INTERVENIENTES (ZIQO E MOÇA).

Não quero crer que o artista involvido tenha feito circular a quele video que lhe prejudicar e amoça em causa.

O gravar um video em que se mantem relações sexsuais, não constitue nenhuma agrassão a moral, mas a sua vinculação ao público pode sim.

No video em causa não houve resistência da companheira e nós não podemos de maneira nenhuma especular as condições emocionais dos intervenientes naquele acto, que estavam a delirar no mesmo e QUE FOI INVADIDO POR UMA GRAVAÇÃO POR AMBOS CONSENTIDA.

Se a interveniente era ou não menor, não sejamos ipócritas, é pelas catorzinhas que se desfazem lares e muito mais.

SARÁ QUE NÃO FOI A MOÇA QUE MANDOU AO AR AQUELE VIDEO PARA GANHAR DIVIDENTOS EM SACRIFICIO DA SUA IMAGEM - "OLHA TER MANTIDO RELAÇÕES COM UM ARTISTA FAMOSO É UM PREVILEGIO PAR ALGUNS."

SÓ E SÓ a sociedade civil, é que deve condenar aquele vídeo e os intervenientes.

A MCEL, o fez..........!

harold

Anónimo disse...

Harold

Diz lá em que sociedade se deve fazer isso. Até tu estás pelas catorzinhas ou achas que se deve deixar tudo impune? O Ziqo é o grande responsável pelo que fez.

Anónimo disse...

Não sou pelas catorzinhas, mas acho que é urgente que a sociedade olhe o factor de menoridade de forma bastante critica e não com "conservadorismo barato" de referencias que nada tema ver com a nossa historia.

Temos graves dificuldades de relacionar os fenomenos e nossa cultura/historia.

A reprodução de mão-de-obra escrava, era uma das prioridades do colono e este insentivava. Isso, nós só queremos esquecer e não analizar. MAU!

As nossas mães, avós e bisavós, constituiram lares e ou tiveram os primeiros filhos com menos de 21 anos e assim eram insentivadas.

Hoje não conseguimos aceitar relações sexuais de "menores",
queremos proibir e condenar, ao envez de educar ou promover o início tardio das mesmas.

Com 17 anos a pessoa tem consciência suficiente para avaliar as coisas, principalmente no mundo moderno que que vivemos.
Não acha?


A sociedade deve condenar a vinculação de senas como estas, pela postura que esperamos das nossas figuras ou não figuras (sociedade), assim como a MCEL o fez.

h

ximbitane disse...

Concordo consigo, Harold! E creio que é justamente por a sociedade condenar que muito se tem falado sobre o assunto (nos media, web, rua, etc, etc).

Infelizmente, o ser humano é por natureza curioso, logo antes de ver o tal video não se julga em condições de condenar. Que ele o faça, que o faça. Acredito que muitos de nós o fazemos ou fizemos.

Nessa historia, o musico não é tao inocente como se quer fazer passar, pelo menos pelo seu depoimento em jornal televisivo num dos canais de tv. Lembro-me de ter visto, ha anos atras, fotos do mesmo em situações identicas e sobre isso ele nada falou, talvez porque na epoca a tecnologia nao estivesse tao avançada, o assunto ficou em aguas de bacalhau ou porque o Ministério Publico não o chamou a justificar-se.

Agora a história é dura porque invadiu tudo o que é telemovel ou caixa de email, saiu portanto do circuito fechado. As desculpas são benvindas e que isso sirva de exemplo para os demais!

Catarina disse...

Em primeiro lugar, esse tal de Ziqo é exemplo para quem???
Em segundo lugar, eu não entendo toda esta agitação!! Acusam-no de mta coisa e metem a moça como coitadinha! Ela foi obrigada, por acaso? Quem mandou deixar-se ser filmada? Bem feita, bem feita, bem feita!! Filmar um acto sexual não é crime nenhum. O problema é que eles tiveram azar e algum espertinho publicou o video! Só!! Agora todo esse rebuliço...francamente! Há coisas mais importantes neste pís a serem discutidas...

Reflectindo disse...

Obrigado pelos vossos comentários. Brevemente volto ao assunto para dar o meu ponto de vista sobre porque este assunto é também importante, pelo menos para mim. Porém, algumas dúvidas podem-se tirar a partir do artigo do Jornal Notícias de hoje o qual já também publiquei.

Abracos

Anónimo disse...

Anônimo primeiro, é Zico ou Ziquitado? Vive no nosso Moçambique? Sabe o que é a liberdade sexual ou ou?
Permito-me focar o caso Zico sub ataque ao comentário do anónimo primeiro e a Catarina. Primeiro anónimo fala da liberdade sexual, onde é que viu esse tipo de comportamento a liberdade nunca feri a moral universal. (procura entender o que é isso da moral universal). Os animais diferem de sesres humanos em aspectos como estes a exposição de actos sexuais. Mesmo, as casas de prostitutas que eu uma frequentei uma vez, não é assim. Mesmo os que pornógrafos não defendem assim como anónimo defende. A liberdade sexual, se entendo não é, essa defendida pelo senhor anónimo.

A liberdade nunca é liberdinagem, a selvageria, contra as normativas de qualquer povo. Mesmo na Tailândia onde é baluarte de turismo sexual, não é assim, nem aí na 24 de Julho, Julius Nyerere e nem no Araújo é assim, tem esquinas não a exposição. Mesmo assim, como pensa, lá na Tailandia, as pessoas estão preparadas para tudo..ainda estabelecida numa normativa.

Não queremos julgar as intensões do Zico, se assim for caimos na imaginação de que ele é conjunturado. Procuramos situar o Zico como aquele Zico do maboazuda que pode até em todas mulheres, falamos daquele Zico ícone, falamos do Zico que é exemplo de música pandza em Moçambique, falamos do Zico que tem muitos fans, falamos que sai na televisão na responsabilidade social.

Ademais falamos de um Zico que possa influenciar a moda de cão aos inocentes jovens como eu.
Zico e outros fazem sexo nas suas casas, agora teve azar, como azar e porquê azar? Para a comentadora Catarina, porquê azar? Acredito que tenho no fundo esse pensamento, mas não gosto de usar, porque deterioza argumentos de que Zico o que canta não significa o que faz. Ainda, lá no You-tub temos muitos videos pornográficos, lá na minha banda lá dos bairros urbanos, temos os cinemas que projectam movies de pornografia, é lá, onde alguns aprendem truques sexuais, para os que não tem acesso à net, a fim de ver truques dos Zicos. Agora, o problema está no começar a interpelar o Zico, marcando se calhar uma etapa da consciência de que a nossa sociedade não está preparada para casas nocturnas, mesmo essas da Araújo, lá na baixa fazem reforma porque participaram muitos enterros das suas colegas por motivos de SIDA.

Para catarina, o problema não é filmar ser crime, o problema é publicá-lo. Não foi Zico sim, aceitando antes, que ele fez a sua publicação, mas lembra-se da maboazuda, lembra-se da dama du bling. Quando nós focamos procuramos ver o que é real esses fazem e querem. A marginalização da mulher, a nudez, ainda alguém com experiência na an’alise considera Moçambique como país em que na maioria dos clips, o desastre reside na nudez da mulher.

Para a catarina respeitosa, se calhar não entenda bem do assunto e da sociedade moçambicana e procurar a lei moçambicana.

O Zico não forçou a fan, e nem o Zico foi forçado, porque filmar e porque cantar assim e para assim. Zico é sabio, um sábio que faz casamento entre a teoria e prática.

Reflectindo disse...

Boa interpelacão caro anónimo último sem me esquecer dos outros. Acho que ao querer-se defender o comportamento do Ziqo se deve à falta de análise profunda sobre o que lhe permitiu agir como fez. Se nas suas declaracões ele ainda falou de a miúda ser a sua fã, isto revela que ele abusou a sua figura pública, o facto de ele ser músico e popular. Isso é no mínimo quando um professor vai fazer relacões sexuais com a sua aluna. Ele está a abusar o poder de ser professor e isso não tem nada a ver se a aluna é menor ou maior. Mesmo um professor universitário com uma estudante da faculdade numa relacão romântica é necessário investigar-se bem se não se trata de abuso de poder. É assim no mundo civilizado.

No nosso país há essa mania de que as figuras públicas, músicos, dirigentes políticos, governantes, directores de quê, têm o direito de abusar o ser feminino, usando o seu poder. Isso é uma selvajaria. Uma figura pública tem altas responsabilidades da sua própria mente, dos seus actos, isso que o Ziqo não teve.

Se em nenhum momento o Ziqo disse que a miúda vinha com a câmara de filmagem, então os instrumentos estavam lá. E, falando de filmar, sabemos nós a partir da física que ao vermos/olharmos para um objecto estamos a filmar. Portanto, todos nós filmamos os nossos actos sexuais. A diferenca entre nós e o Ziqo é que ele filmou para publicidade sim, isso provando-se pelo facto de o homem da câmara ser uma outra pessoa que ele e no acto ter estado lá o homem da câmara e uma outra miúda a assistir.

Anónimo disse...

Certo, mas poe entre aspas a palavra civilizado, exemplo ...'É assim no mundo "civilizado" ' todos somos civilizados.

Reflectindo disse...

Amigo anónimo, quando falo de civilizado não excluo a quem quer que seja ou qualquer povo que seja. Nós somos civilizados, por isso não devemos aceitar selvejarias.

Anónimo disse...

O nao civilizado e o selvagem, quer dizer?

Mas e preciso aceitar, e a unica verdade.

Anónimo disse...

O selvagem vive sem leis civis, sem regras estabelecidas numa sociedade, não preocupa pela harmonia na sociedade onde vive.